Eduardo de Souza Costa, 33º

Soberano Grande Comendador

Meus irmãos estamos iniciando uma nova história para a Maçonaria Brasileira, desta vez com um pouco mais de ensinamentos sabedoria, sempre contando com a proteção do G.:A.:D.:U.: e o apoio de todos os irmãos, vamos olhar para o futuro sem medir esforços para bem servir a maçonaria.

      Tenho como meta junto com os membros do Supremo Conselho, nos fortalecer, buscar alienação não somente dentro de nossa jurisprudência, para também com todos os irmãos para realmente termos uma maçonaria universal. Sem contar com o apoio que daremos ao Nossos Corpos filosóficos e na grande aliança com o Soberano Santuário do Brasil para o Rito Antigo e Primitivo de Memphis – Montaubam 1815. Aqui conclamo a todos os obreiros da Arte Real a estamos sempre unidos pela Cadeia de União. Façamos, como Salomão, que pediu a Deus somente um coração cheio de sabedoria para governar o povo e para discernir entre o bem e o mal. Tendo o G.:A.:D.:U.: como nosso guia, que esta nova viagem seja de paz e tranquilidade, e que no ponto mais alto de nosso navio ergamos a Bandeira de nossa Pátria e o Estandarte de nosso de Nosso Supremo Conselho, É fundamental, pois, que reflitamos a respeito do que esperamos ser participação. Participação gera legitimidade, ou seja, passamos a ter o real direito de propor, opinar, fazer críticas construtivas pertinentes aos que, também legitimamente, estão empenhados nos trabalhos dos corpos filosóficos.  Tal participação, entretanto, deve ter a finalidade de somar elementos para a reflexão dos Irmão, sem a pretensão de que tudo aquilo que propusermos seja acatado como a única direção a ser seguida. Gera, ainda, representatividade, pois os que se comprometem, de boa vontade, a exercer funções, representam os setores aos quais estão ligados.

 

     Muitas vezes esperamos por uma mudança, esquecendo que esta somos nós que a promovemos. Esperar, jamais. Ir à batalha, sempre. Talvez esta batalha seja longa, deixe algumas marcas, mas se de fato desejarmos, poderemos suplantar nossas limitações. Sem agirmos hoje, o amanhã nunca será melhor.

Nossos objetivos devem sempre ser os de promover a inclusão, a aproximação, quebrando paradigmas de grupo hierárquico ou qualquer outro, pois nosso Supremo Conselho é ambiente de convivência fraterna e igualitária. Deixemos as distinções profanas fora das Oficinas.

Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Antigo e Aceito para Republica Federativa do Brasil

Rito Escocês 1804